06/06/2009

Deus: uma tríade.

As pessoas são inseguras e imaginam a existência de algo que lhes sirva de esteio para poderem dar continuidade ao que estão subordinadas a fazer durante o ciclo vital. Para alguns, a existência de Deus é uma verdade irrefutável e o instrumento destas é a fé que, para muitos, é ausente. Notamos a outra face. A perda da fé. As lágrimas incriminam a crença como uma perda de tempo neste mundo triste, desigual e severo. Não, Deus não existe nos corações daqueles que têm, em seu histórico vital, as marcas indissolúveis. Há algo além de Deus? Não. Talvez. Sim.
Difícil converter-se quando a vida real machuca. Sentimos a dor e Deus se torna, simplesmente, um passado que fora escrito por pessoas que nem conhecemos. Dizem que a Bíblia é a palavra de Deus, mas quem testemunhou Sua oratória? Dúvidas surgem. A fé dissolve e, repentinamente, a fragilidade subtrai as nossas experiências valiosas e tentamos sobreviver com esse medo incomensurável e a vida perde a cor; os olhos, o brilho. O que nós somos? Quem somos? Por quê? Para quê? Por nada. Os miseráveis incrédulos falecem internamente e respiram através das fontes de motivações. Motivações? Quais? Eles não sentem a presença daquele que participou de suas vidas como a luz de um amanhecer breve. Um dia brilhante que logo exauriu. A fé cede lugar à revolta e a inveja forma os vândalos e os delinqüentes. Alguém, ainda hoje, considera a origem do vandalismo uma dúvida pertinente, porque nunca pensou em como seria estar diante das dificuldades, ter tantas necessidades e ser tão difícil conter a sua indecisão entre o caráter e a fome. Alguém retruca e afirma que os delinqüentes existem por conta do comodismo dos mesmos. Como se sentiria um grande empresário diante dessas dificuldades? Os desfavorecidos clamam por uma chance; os empresários, pela constância.
Há ainda dúvidas acerca da existência de Deus, porque nenhum cientista pôde provar, apesar da evolução da qual todos se orgulham. As pessoas acostumaram-se a crer a partir do ver. Devem ser descendentes de Tomé. O fanatismo de alguns camufla a descrença, porque eles precisam acreditar na existência de algo maior para sentirem a segurança da qual temos nos afastado. Os homens são indiferentes entre si e escrevem a trajetória de suas vidas com uma caneta falha. Querem, todos, uma espécie de revolução pessoal, mas estamos ociosos quanto a isto, porque transformaram o discurso acerca da esperança em senso comum.
Deus é como um pai e permite que seus filhos aprendam a viver. Ele não abandona ou vinga-Se. Nossas vidas dependem de nossos atos passados. A vida após a morte é um mistério. Aqueles que percebem o Deja Vu vivem uma nova chance. Não viemos ao mundo para consertar algum erro. Estamos aqui para aprendermos que devemos ser felizes. Complicamos com nosso egoísmo e nossos projetos afundam, porque não compreendemos que o erro é o teste, uma prova de resistência. Os mais fortes aprendem; os fracos, definham e tentam, constantemente, ser mais do que são. Sim, Deus existe. Ele ensinou a nós tudo e se, hoje, não lembramos, é porque a nossa teimosia é antiga, bem como tudo o que sentimos.
O homem é o desafio. O desafio é pessoal. O homem não deve olhar para o passado, o presente é o que importa. O futuro é conseqüência. A vida tornou-se um emaranhado de espinhos, porque os filhos, hoje, estão contra os pais. Estão contra o Pai.

4 comentários:

  1. juliana de oliveira6 de junho de 2009 16:29

    Amém!!!é assim que se fala!!vc mesmo disse"Deus existe".e sabe o que mais?Ele usa pessoas como vc que têm fé e ainda não desfaleceram perante esse mundo "cão"!PARABÉNS!o seu coração ainda é de carne....

    ResponderExcluir
  2. -' aff'z eu escrevir ainda agora um comentário tão lindo e tão grande , mas deu erro e apagou .

    Agora vai um pequenininho .. Poxa vida ..
    ♥ Amei teu texto Brendinha, pois aí se encontra o resumo para todas aquelas vidas insanas que muitas pessoas vivem e não sabem o porque de sua própria vivencia.
    Eu admiro tua coragem por ter escrito e debatido sobre um Tema bastante conflitante diante a sociedade. Falar de Deus, o Deus Pai de todos os Santos não é fácil não.
    Lhe dou os parabéns e meus adoraveis votos de maturidade e bom senso.
    •Minha querida continue assim sempre. Acreditando e crendo no Deus divino.
    E na existência de cada um, pois o que vivemos aqui não são sonhos e sim realidade. Pura realidade. Bjo's xx

    ResponderExcluir
  3. Atualmente as pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre a existência de Deus, realmente.Algumas acreditam simplesmente por obrigação, já que têm medo do que pode acontecer depois da vida (medo de ir para o inferno ou coisa assim).Mas, pelo menos eu, acredito muito nele e fico feliz porque você também tem fé. Só acredita, de verdade, quem já sentiu a presença Dele na vida. Quando estamos num "buraco", a força Dele nos ajuda a sair de lá.
    Textos assim nos fazem pensar bastante e é por isso que te dou, novamente, os meus parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Muito bom. Tu usas certos detalhes no teu texto que mostra o empenho que tu tens quando o fez. Interessante. Confesso que li duas vezes as primeiras partes do texto, não entendia. Mas no final a leitura foi corrida, e como sempre, o teu final é o teu forte.
    ;)

    ResponderExcluir